Personalidades da fruticultura brasileira

Celso Valdevino Pommer

Celsouvas_019

Celso V. Pommer nasceu na cidade de Leme-SP em maio de 1946. Cursou o primário de 1953 a 1956, o ginasial de 1957 a 1960 e o científico de 1961 a 1963 na cidade natal. Ingressou na ESALQ/USP em 1965, graduando-se Engenheiro Agrônomo em 1969. Começou a trabalhar em janeiro de 1970 no Instituto Agronômico de Campinas (IAC), onde permaneceu até a aposentadoria, em outubro de 2003. Trabalhou sempre com melhoramento genético vegetal, inicialmente, durante nove anos, com milho, depois quatro anos com cana-de-açúcar e, finalmente, com uva de mesa. Defendeu tese de doutorado na Universidade de Campinas (Unicamp) em 1976.

Foi o primeiro diretor do Centro de Fruticultura do IAC. Realizou sabático pós-doutoral de maio de 1989 a maio de 1990 no Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura Americano, em Fresno, Califórnia, trabalhando com uva de mesa. Novo sabático de maio a novembro de 1996, no Instituto de Viticultura do governo da Itália, em Conegliano. Depois de aposentado vem se dedicando como Professor Visitante em universidades, como a Universidade de Brasília  (UnB), de 2004 a 2005, a Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), de 2007 a 2010 e a Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), desde 2010.

Orientou muitos estudantes de graduação e diversos mestrandos e doutorandos. Escreveu cerca de 100 artigos em publicações diversas e publicou livros e capítulos de livros no Brasil e no exterior. Em trabalhos com uva, no melhoramento genético divulgou a ocorrência em 'Niagara Rosada' de mutação sem sementes que recebeu o nome de 'Rosinha'. Introduziu as cultivares de uva: Centennial S. (sem sementes) e Redglobe (com sementes). Realizou a introdução e lançamento, no Brasil, de duas cultivares de uvas apirenas Crimson Seedless e Fantasy Seedless em 1995. Lançou a cultivar de uva moscatel de mesa IAC-Juliana em 2001. Produziu as primeiras plantas de videira no Brasil oriundas de cruzamento entre uvas sem sementes por meio do resgate de embriões, tecnologia que foi repassada para a Embrapa Uva e Vinho em 1993. Consolidou e divulgou conhecimentos do melhoramento genético da videira em São Paulo. Desenvolveu tecnologia para produção uvas sem sementes por indução pela estreptomicina. Implementou a técnica do anelamento para antecipar maturação de uvas com sementes. Atualizou procedimentos de propagação e micropropagação da videira.