Personalidades da fruticultura brasileira

Joaquim Teófilo Sobrinho

 

Joaquim Teófilo Sobrinho o primeiro homenageado no “Hall da Fama da Citricultura Brasileira.” Joaquim Teófilo Sobrinho é natural de Nepomuceno (MG), filho de José Teófilo Salgado e de Francisca Barbosa Lima Salgado. Casado com Maria Regina Mazzonetto Teófilo teve com três filhos. Estudou em Nepomuceno (MG), em São Paulo e Piracicaba (SP). Formou-se na Escola Superior de Agronomia Luis de Queiroz - ESALQ, na turma de 1963. 

Iniciou sua via profissional na Estação Experimental de Pindorama (SP) com café e tomate. Em agosto de 1967, assumiu a chefia da Estação Experimental de Limeira (SP).

Em 1972, obteve o título de Doutor em Agronomia, estudando o comportamento da laranja Valência sobre diferentes porta-enxertos, como Pesquisador Científico dedicou-se ao desenvolvimento de porta-enxertos e adensamentos de plantio, projeto que começou em 1972 e com os dados obtidos com este trabalho, estamos plantando até hoje. Estudou a competição de clones de Pêra Rio, e em 2001 fez o lançamento do clone Laranja Pêra 2000. 

Como Chefe da Estação Experimental e depois Diretor do Centro de Citricultura dedicou-se: a estruturação das dependências da Estação Experimental, construção da Clínica Fitopatológica de Citros, as sedes administrativas, as portarias, o Centro de Convenções da Citricultura, o Laboratório de Biotecnologia e o Laboratório de Qualidade. Construiu a primeira estufa com telado para formação de mudas protegidas de citros e realizou a divulgação e integração entre a pesquisa e a produção: Criou o Dia do Citricultor (1969) e a Semana da Citricultura (1978). Auxiliou na criação também: Dia do Viveirista em Citros (1994), o Dia do Consultor em Citros (1995), e nos Dias Temáticos: Tangerina (1998); Limão Tahiti (1999); Laranja (2000). 

Deu apoio à criação do GCONCI e do Vivecitrus, foi incentivador das primeiras reuniões para a formação e cedeu a local para a sede provisórias dentro das instalações no Centro de Citricultura, sob sua gestão. 

Recebeu inúmeros títulos e homenagens, entre eles: Engenheiro Agrônomo do Ano (1998), recebeu o Mérito Científico e Tecnológico, pelo Governo do Estado de São Paulo (2001), o Troféu Fumagalli (2004), entre outros. 

Sua contribuição técnico-científica teve 34 artigos completos publicados em periódicos, três capítulos de livros publicados, cinco textos em jornais de notícias/revistas, dois trabalhos completos publicados em anais de congressos, dez resumos publicados em anais de congressos (artigos), houve outros tipos de produção técnica e bibliográfica. 

Aposentou-se em 2002 e mantém atualmente a revista eletrônica Espaço Citrícola, (http://www.espacocitricola.eng.br/site/)