Notícia

Monte Alegre produz 51 mil toneladas de limão Taiti por ano

Município foi reconhecido como maior produtor do fruto no Estado. 70% da produção garante renda aos agricultores.

O município de Monte Alegre, oeste do Pará, abriga a maior produção de limão Taiti da região, com 220 mil pés da produção, localizada na Rodovia PA 254. A cidade ganhou o reconhecimento de maior produtor do Estado, alcançando por ano mais de 51 mil toneladas do fruto.

O limão Taiti é considerado o carro chefe da produção local e é responsável por 70% da renda dos agricultores. Grande parte do que é comercializado vai para o Estado do Amazonas. De acordo com o técnico da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Monte Alegre, Francisco Lima, a produção do limão Taiti gerou em 2013 mais de R$ 17 milhões em receita, que foi incorporada ao município.

Segundo a Emater, a safra de 2014 teve crescimento de 30%. Para garantir a colheita do ano todo, os produtores utilizam tecnologias, como por exemplo, a irrigação nos meses mais secos. A escoação do produto é feita pelas estradas estaduais e a maior parte é levada para a cidade de Alenquer, onde o fruto é limpo e encerado.

O limoeiro, que pode ter vida útil superior a 15 anos, começa a produzir três anos do início do cultivo e, após quatro meses é feita a colheita, que dura 120 dias. Para intercalar a produção, os agricultores plantam mamão e jerimum.
Devido ao uso diversificado, o limão tem mercado garantido. O agricultor José Pedreiro foi o pioneiro no cultivo do limão Taiti na região. Ele começou com 500 árvores e hoje possui quase cinco mil pés em produção em uma área de 21 hectares, chegando a produzir em torno de 12 mil baldes da fruta. “O povo achava que [o limão] não era aceito mais fora. Quando descobri que tinha aceitação, comecei a produzir. Depois comecei incentivando e eles começaram a ver a produção, começaram a ver o que eu estava fazendo, aí que eles foram analisar e foram atrás de muda. Eu comecei a ensinar o povo como era para fazer as mudas; foi abrangendo todo mundo e hoje está desse jeito, a região toda está produzindo só limão”, conta Pedreiro.

É possível colher por ano, por pé de limão, em média 250 quilos durante o inverno, quando o clima é mais propício para o desenvolvimento do fruto. “Uma necessidade muito grande de procurar um comércio, para poder suportar a produção que Monte Alegre está tendo, além de Prainha, Alenquer, estão produzindo muito. Essa safra toda está sendo despejada para Manaus. Há a necessidade de estar preocupado, de estar procurando uma venda melhor, um jeito de adquirir uma máquina para extrair o líquido desse produto e não diminuir a produção e também essa renda possa permanecer na região”, revela Pedreiro.

A atuação da Emater tem objetivado garantir a melhoria da produção e produtividade da cultura. “Dentro do possível e dentro das necessidades do produtor a gente tem feito visitas periódicas tentando mostrar a realidade dos fatos econômicos, dos fatos técnicos novos que surgem, de tecnologias que a gente tem visto hoje em relação ao cultivo do limão”